segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Luto

Blog de luto.
Morreu David Bowie.
Zowie, meu apelido desde muito jovem, me foi dado por amigos de infância em função da adoração que eu sempre tive pelo David Bowie. E que será eterna.
O filho de David chama-se Zowie.
Zowie acrescentou dois outros nomes ao seu nome de batismo, que era Zowie Bowie. 
Hoje Zowie é um cineasta: Duncan Zowie Hayward Jones. 
O verdadeiro Zowie e seu pai David estão nas fotos abaixo.



Esta foto acima, onde Zowie aparece nos ombros do pai David Bowie, foi a foto escolhida por ele para anunciar a morte do pai no Twitter. 



David estava doente, com câncer.
Na semana passada, no dia de seu aniversário,  David anunciou seu último disco: Black Star.
Havia algo estranho, sombrio, perturbador no ar, que pode ser observada em seu último clip. 
Publico aqui a coluna de Gabriel Pinheiro do Estadão.
Leiam o que ele escreveu e vejam o clip.



David Bowie se despediu do mundo com ‘Lazarus’. Não entendemos

GABRIEL PINHEIRO
11 Janeiro 2016 | 09:49

bowielazarus
Na última sexta-feira, 8, comemoramos o 69º aniversário de David Bowie. A data veio marcada com o lançamento de mais um álbum do camaleão do rock, . Sua capa era apenas isso, uma estrela negra sob fundo branco, algo que lembrava luto. Chamamos de Blackstar. O disco foi gravado com uma banda de jazz nova-iorquina. A crítica especializada classificou o trabalho como introspectivo, sombrio, mais frio que os anteriores.
O primeiro single do álbum é Lazarus. O nome faz referência ao personagem bíblico Lázaro — segundo a Bíblia, um homem que estava morto e foi ressuscitado por Jesus depois de quatro dias de sua morte. O videoclipe que acompanha a canção exala cores frias. Tem quatro minutos. Bowie está numa cama de hospital – embora o cantor comece dizendo que está “no céu” – e luta para sair dela. Tenta remover suas ataduras (“Eu tenho cicatrizes que não podem ser vistas”, diz um trecho da letra), sem sucesso. É agonizante.
Durante aqueles quatro minutos, Bowie tenta escrever uma carta — ou um testamento, um bilhete de despedida. Não sabemos. Quando termina, entra em um guarda-roupa. Assim termina o videoclipe. Seus últimos versos são: “Eu estarei livre. Não é assim, como eu?”. Foi uma despedida. Hoje, sabemos que Bowie finalmente se libertou da luta que travava com aquela doença havia 1 ano e meio e deixou seu testamento musical. Planejou o fim de sua vida e carreira com uma lucidez assombrosa.
Não entendemos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O comentário não representa a opinião do blog Memorias-Sonhos-Reflexoes e é de total responsabilidade do autor da mensagem.